_Mayra
Santos-
Febres

    Porto-riquenha e nascida em 1966, a escritora começou a publicar seus poemas em revistas e jornais de países como Cuba, Argentina, França e Estados Unidos na década de 1980. Pouco depois, passou a escrever ensaios, romances e contos, que também tiveram êxito e conquistaram prêmios, como a coletânea de contos “Pez de vidrio”, que venceu o Letras de Oro.

    Dividido em três partes, “Urso branco”, o texto escolhido para a estreia da Puñado, venceu o prêmio Juan Rulfo, em 1996. A narrativa, concebida sob diferentes pontos de vista, é considerada um marco da literatura porto-riquenha, sendo frequentemente pesquisada e debatida em universidades e centros de estudos, pela ousadia da abordagem erótica ao retratar a situação social do país.

    O primeiro romance de Mayra, “Sirena Selena vestida de pena”, já foi traduzido para o inglês, o francês e o alemão. Seus trabalhos mais recentes, os romances “Cualquier miércoles soy tuya”, “Nuestra señora de la noche” e “Fe en disfraz”, o livro de ensaios “Sobre piel y papel” e o livro de poemas “Boat people” seguiram a mesma trajetória dos projetos anteriores, tendo sido indicados a diversos prêmios e aclamados pela crítica.

    A autora já foi professora visitante nas Universidades de Harvard e Cornell (onde concluiu seu mestrado e doutorado) e, atualmente, coordena o curso de Narrativa no Departamento de Estudos
    Hispânicos da Universidade de Porto Rico.

    0