_Elena
Poniatowska
Amor

    Mexicana, embora nascida em Paris (1932), Elena é escritora, jornalista e ativista. De família ilustre (cujos títulos não lhe interessam muito), a autora teve os caminhos traçados em meio a conflitos: a mãe mudou-se para a França, fugindo da Revolução Mexicana; mais tarde, quando Elena tinha dez anos, a família voltou para o México, escapando da Segunda Guerra Mundial.

    Entre seus primeiros trabalhos como escritora, estão crônicas, que ela assinava como Helène, e entrevistas com personalidades como a cantora Amália Rodrigues, a pintora Maria Izquerdo e o escritor Juan Rulfo, na década de 1950. Foi nesse período que começou a se interessar por questões sociais e pelos direitos da mulher, temas que marcaram toda sua vida e obra.

    Elena é uma escritora que gosta de escutar. Além de colaborações constantes com os jornais Excélsior, Novedades e La Jornada, tem publicados contos, novelas, romances, poesias, crônicas e peças de teatro, muitos deles incorporando relatos verídicos. O romance “Hasta no verte Jesús mío” (1969) e a crônica “La noche de Tlatelolco” (1971) marcam o início de seu reconhecimento internacional, que levou à conquista de inúmeros prêmios, entre eles, o Rómulo Gallegos, o Biblioteca Breve e o Cervantes – sendo ela a quarta mulher a recebê-lo. Em 2011, foi criada a Fundação que leva seu nome, com o objetivo de preservar, difundir e debater sua obra e a literatura mexicana como um todo, além de fomentar causas sociais.

    0