__quem somos

Incompleta é uma reunião de amigos e artistas com três frentes: o site, uma editora independente e os cursos. (Também gostamos de ser chamados para freelar e compor outras equipes por aí).

Lançado por Fábio Kawano, Laura Del Rey, Marcos Casilli e Raquel Chamis, o site é uma longa conversa sobre nossos temas favoritos, com a presença de colaboradores especiais que se sentam à mesa para dividir o café. A dinâmica da nossa amizade é impulso para o projeto: a ideia de um inspira o outro a criar; alguém traz as próprias referências para jogar luz sobre determinado tema. Em um quebra-cabeças coletivo cujo objetivo é misturar todas as peças, tentamos alargar entendimentos. 

A editora, tocada por Laura e Marcos, publica trabalhos próprios e de outros artistas. Em 2017, foram lançados "Sobre Ser Uma Linha", crônica escrita por Laura Del Rey e ilustrada por Gui Athayde; "Does This Look Like A Real Comic To You?"e "Liget", coletâneas de histórias em quadrinhos de Marcos Casilli, e os números 1 e 2 da revista "Puñado", uma parceria da Laura com a tradutora Raquel Dommarco Pedrão e escritoras latino-americanas. A Incompleta participa de feiras independentes e também distribui publicações anteriores de seus sócios, como o fotolivro "Hart", de Laura e Alziro Barbosa. 

Os cursos podem ser consultados aqui.

fábio kawano

fábio kawano

[textos, vídeos, playlists]

fábio kawano

No primeiro olhar pela câmera, descobriu o vazio infinito. Registrou a passagem do tempo e a pulsação da natureza morta. Percebeu o fardo da existência humana e fez da contemplação uma resistência. Costumava viver em um filme de Ozu; hoje persegue o cinema clássico americano. Enxergava preto e branco; ultimamente anda vendo colorido – mas nunca abandonou a ideia de que o que realmente importa está fora de quadro. Continua anônimo na própria vida, preenchendo lacunas com planos de chaminés, telhados de casas e vasos na penumbra. Lamenta não viajar mais de trem e a persistência em falar sobre as mesmas coisas. Os filmes que fez nunca saíram da sua imaginação. Sabemos, porém, que em todos eles a câmera sempre esteve à altura dos olhos e os personagens falavam o português de Portugal.

laura del rey

laura del rey

[ editora + textos e entrevistas]

laura del rey

Acordar e tentar achar, de novo, o que importa. Felizmente, parece possível enganar outro dia sem decidir entre a fotografia, o texto, o design e o cinema. Passar um café, enquanto pensa neste shake. E se os nomes das coisas importam, a tinta da sala é a Trovoada. Os gatos se espreguiçam e a rotina tem encanto. Sabe, porém, que só cria mesmo quando posta em movimento. Olha pela janela. Gosta muito de janelas. De juntar ideias – e pessoas. Mar ou montanha? Os dois se fundem em seu primeiro livro. Talvez o shake hoje vença o café. Mas com quem a gente anda importa – por isso esta patota.

+ trabalhos :}

marcos casilli (kz)

marcos casilli

[editor + textos, HQs e playlists]

kz

Atende por KZ quando desenha. Cineasta de formação, tradutor por necessidade e quadrinista por teimosia, é um nômade que se encontra no momento em Dundee, com o coração em São Paulo e a cabeça sabe-se lá onde. Passa a maior parte do tempo assistindo filmes e TV, traduzindo filmes e TV ou escrevendo filmes e TV – e também lendo e criando quadrinhos. Além de cinema, TV e quadrinhos, gosta de: música, gatos, cerveja e ternos. Acredita que, mesmo que John Lennon tivesse morrido logo após gravar os vocais de Twist and Shout, sua contribuição para a música já teria sido imensa. Dizem que é formal.

+ trabalhos :}

raquel chamis

raquel chamis

[textos, bordados, entrevistas]

raquel chamis

Andou por áreas distintas até encontrar entre elas um alinhavo: trabalhou com direito penal, estudou ciência política e achou no jornalismo e na publicidade um jeito de falar de tudo, muitas vezes por vias tortas. Sempre havia palavras. Na costura delas, o esforço de vencer o medo das próprias histórias, que junto das histórias dos outros talvez formassem uma narrativa pessoal sobre o mundo. Acha que as dores individuais se pacificam em águas de um mesmo mar e que são os pontos de convergência entre as pessoas que renovam as possibilidades de transformação. Acredita na delicadeza como forma de luta; no amor em forma de bolo quente. E sabe que sua escrita, ao fim, era apenas uma boa desculpa para sentir.

colaboradores

nossos amigos

[colaboradores]

colaboradores

Espalhados, habitam lugares que vão de São Paulo a Burlington, cidade estadonidense que parece a própria the suburb do Arcade Fire (se existe algo que une nossos colaboradores é um certo gosto pelos deslocamentos e a mudança de ares). Em frequentes visitas à Incompleta, puxam cadeiras coloridas para sentar e colocam suas histórias na nossa roda. Recebê-los semanalmente aqui é uma forma de vivenciar os encontros e as trocas, que nos são tão caros, e deixar enroscar outros sentimentos e mãos (que desenham, escrevem, fotografam e abraçam forte) ao projeto. A intenção é manter sempre a casa cheia, pois acreditamos no andar juntos – e que todos os dias ficam melhores com Camila Gutierrez (Pílulas Animais), Daniella Saba (Hiperbreves) e Marcelo Bueno (3 1/2 por 4 e 1/3), além de Bruno Carmelo, Cristina Müller, Lila Foster e Rodrigo Lamonato (com suas colaborações diversas).